quarta-feira, 9 de março de 2011

- tons de cinza.

Tons de cinza eram tudo o que ela já tinha vivido até sua adolescência. Nem preto, ou branco, tudo sempre foi cinza. Tudo se mostrava incerto, e ela trazia em sua aparência uma face indecisa sobre tudo o tempo todo, como se nada sempre fosse sua unica certeza. Houve um dia em que ela se levantou no meio da noite, saiu para andar, olhar as estrelas e como sempre, não tinha rumo para seguir. Ela dizia repetidas vezes o mesmo pensamento para de si mesma:
- As estrelas quando nascem a noite, vem sempre com a certeza de seu brilho. Cada estrela em seu lugar, cada uma com seu brilho, umas mais perto de nós, outras nem tanto. Mas elas aparecem todas as noites, certo ? Sim, sim, isso esta certo. E independente das nuvens que de vez em quando possam cobri-las, elas estão sempre lá, certo ? Sim, isso também está certo. - ela levemente sorria por dentro, ao dizer essas palavras.

Ela havia se cansado de tantas incertezas guardadas dentro de si, não mais com tons de cinza ela queria viver, não mais seria conhecida como aquela que nunca teve certeza alguma, não mais seria como a unica estrela incerta de seu brilho todas as noites.

All that we need is to believe,
Escape to the stars

Um comentário:

  1. Sem duvidas, você escreve muito bem , parabéns ficou perfeito!

    ResponderExcluir